Fato? Para quê?

Como em muitas outras áreas, a Consultoria de Imagem não é estanque. Acompanha a evolução do gosto e dos estilos.

Deve procurar ir ao encontro do que é actual. Seguir tendências não é sinónimo de imagem actual.

Nesse sentido, o post de hoje foca um tema com o qual me deparo muitas vezes, sempre que o assunto é roupa formal.

A grande maioria das minhas clientes cuja profissão exige uma maior formalidade e sobriedade na imagem, estão presas ao “conceito-do-fato”. Ainda está instituido em muitas empresas que “O FATO” é imperativo e que é a única salvação para ter uma imagem formal, cuidada e credível.

Os senhores que escreveram os “cadernos de encargos” sobre os dress codes estavam algures entre 1980 e 2003. Pois bem, mesmo que estas directrizes para os Dress Codes tenham parado algures nessas décadas, é nosso dever contornar os padrões estabelecidos e actualizar a nossa imagem para os dias que correm.


Até 2003/2004, quase todos os bons livros de consultoria de imagem aconselhavam peças chave que TODAS as mulheres deveriam ter e sem as quais a vida não seria possível.

Concordo que existem determinadas peças que podem dar jeito a muitas mulheres mas, estas peças têm que ser escolhidas de acordo com cada pessoa.

Não faz qualquer sentido dizer que “todas as mulheres deveriam ter”: fato escuro, calças pretas, saia a direito, camisa branca, jeans a direito, t-shirts, relógios clássicos, sapatos pretos, carteira preta, cardigans… e por aí fora. A lista de básicos é conhecida por todos.

O mais importante de tudo é perceber SEMPRE qual é o gosto pessoal da cliente e ajustar os básicos ao seu lifestyle e personalidade.

Que sentido é que faz ter umas calças pretas penduradas no armário quando a cliente só usa saias e vestidos? E que sentido tem dizer que a camisa branca é obrigatória quando uma cliente tem um peito muito volumoso e detesta peças com botões? Acredito que compreendam este ponto de vista.

Voltando ao tema do post, deixo aqui algumas opções que podem ser alternativas ao tradicional fato de duas peças.


São coordenados que podem ser usados numa entrevista de emprego, (onde é fundamental ter uma imagem cuidada, discreta e distintiva!), ou para o dia a dia de trabalho numa empresa com uma cultura mais formal (e aqui falo de áreas financeiras, consultoras, escritórios de advogados e por aí fora).

 

Algumas sugestões a ter em conta:

– Os saltos altos não são obrigatórios. Se forem adeptas dos rasos, prefiram sabrinas mais bicudas e em bons materiais. As sabrinas muito arredondadas dão sempre uma imagem mais informal.

 

 

– Esqueçam os sapatos pretos obrigatórios. Ficam muito mais bem servidas com uns sapatos nude que podem conjugar com todas as cores da roupa que escolherem. Se usarem com meias cor de pele ainda ajudam a alongar as pernas.

 

– Misturem cores. Não precisam de ir vestidas com todas as cores do arco-iris, mas também não é preciso usar apenas preto ou cinza. Os azuis profundos resultam muito bem com verde escuro ou cor de vinho. Escolham paletas de cor discretas mas criativas e com harmonias de cor aproximadas.

 

– A camisa não é fundamental. Se escolherm uma blusa em seda com alguns drapeados, podem coordená-la com um blazer com um corte mais recto. Assim equilibram o vosso look para que não fique demasiado feminino.

 

Podem usar mais do que três cores num coordenado… desde que o façam com recurso a misturas de peças vivas com peças em tons neutros. Hoje em dia há muitos tons neutros à nossa disposição (brancos, crú, bege, cinza, toupeira, cinza chumbo, etc., etc., etc.)

– Padrão animal? Porque não. De todos os padrões animais, o piton é o mais discreto e recomendado. Porque não usá-lo nuns sapatos com um corte clássico? Se forem coordenados com peças clássicas em cores lisas, funciona como um elemento distintivo e muito elegante.

 

 

Espero que gostem das dicas e que se inspirem para construir looks diários mais criativos e com o vosso cunho pessoal!

7 ideias sobre “Fato? Para quê?

  1. Silvana Querido

    Gostei imenso das sugestões. Apesar de não serem looks a usar na minha profissão gostei imenso das peças e das combinações :)
    Realmente a consultoria de imagem é uma arte cheia de truques :)

    Beijinho

    Comentar
  2. Pingback: New suit | Blossom

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *